Realidade virtual como recurso educacional no Século

//Realidade virtual como recurso educacional no Século

A Realidade Virtual é uma tecnologia que envolve o usuário de uma forma que proporciona uma imersão quase que completa ao ambiente trabalhado. A interface é utilizada conforme a simulação escolhida, a partir de um sistema operacional induzindo imagens, sons,  e em alguns casos até o tato. Independente da interação de quem a utiliza. Você deve estar se perguntando – “E o que isso tem a ver com a escola?”.

Conheceremos juntos essa maravilhosa obra da inteligência humana e como a realidade virtual auxilia os alunos do Centro Educacional Século a compreenderem de forma dinâmica, divertida e prática as aulas.

Para que a realidade virtual funcione é necessário fazer uso da estereoscopia (processo de projeção de imagens que dá impressão de relevo à imagem plana), ou seja cria-se uma ilusão de profundidade. Nesse processo duas imagens diferentes são geradas, uma para cada olho. O cérebro interpreta como se houvesse apenas uma imagem. A tecnologia foi utilizada primeiramente em fotos. Atualmente é aplicada em filmes e ambientes tridimensionais gerados a partir de um software.

No Século essa tecnologia já está sendo aplicada nas aulas de Geografia, Biologia e Ciências, sendo um fator importante para a fixação do aprendizado de nossos alunos. A pretensão é que se estenda a toda disciplina que possibilite adaptar o conteúdo ao tipo de visualização em 360º. O material utilizado é o Cardboard – óculos de Realidade Virtual do Google.

Segundo o professor de Geografia, Fábio Veras, esse avanço na aprendizagem dentro de sala de aula é permitido pelo fato do aluno ser transportado para determinado espaço e ele possa perceber os conceitos que são explicados em sala de aula de forma mais ampla e detalhada, não apenas com  palavras, ou seja, a realidade de fato.

“Esse recurso promove uma maior integração dos alunos aos conteúdos, fazendo com que as aulas sejam mais prazerosas e os alunos consigam captar de forma mais eficiente conforme a grade curricular exige,” explica o educador.

De acordo com Veras, os exemplos antes da utilização do recurso eram estáticos, ainda que fossem bons exemplos, o feedback nem sempre era positivo. A partir do momento em que se passa a utilizar a tecnologia, o aluno se torna coautor do conhecimento, principalmente pelo fato de ele mesmo manipular o equipamento e poder contribuir com base em seus conhecimentos prévios.

Google Cardboard

Google Cardboard é uma plataforma criada por David Coz e Damien Henry, engenheiros do Google Cultural Institute. Trata-se de um visualizador de papelão dobrável cuja plataforma foi idealizada para o desenvolvimento de aplicações de Realidade Virtual (RV).

Os óculos possuem matéria-prima de baixo custo, além do próprio Google disponibilizar o passo a passo de como montar seu próprio óculos de realidade virtual. No objeto é possível inserir um smartphone que por meio de aplicativo leva a outra dimensão. O Cardboard está disponível para o sistema operacional Android e IOS. Os conteúdos de RV são disponibilizados na web através do sistema SDK do RV View.

Em 2016, o Google vendeu mais de 5 milhões de visualizadores Cardboard e foram publicados mais de 1.000 aplicativos. Criando assim uma necessidade de um reforço para a plataforma VR, o Daydream.

Tweets

Quer receber mais  informações sobre a  Escola?

Cadastre seus dados aqui.




2018-03-02T11:42:35+00:00