Alunos do Século vão à 2ª fase em olimpíadas brasileiras

//Alunos do Século vão à 2ª fase em olimpíadas brasileiras
Alunos Século em olimpíadas de Física e de Matemática

Alunos da escola particular Centro Educacional Século conseguiram passar para a segunda fase de olimpíadas brasileiras, sendo 8 alunos classificados dos 21 que realizaram a prova da Olimpíada Brasileira de Física (OBF) e 10 alunos classificados na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), entre alunos do Ensino Fundamental II e Ensino Médio.

Ao todo, o número de participantes do Centro Educacional Século foi de:

  • Onze participantes do 9º ano do Ensino Fundamental II;
  • Dois participantes do 1º ano do Ensino Médio;
  • Onze participantes do 2º ano do Ensino Médio;
  • Três participantes do 3º ano do Ensino Médio.

Ao todo, foram 21 alunos e alunas participando da primeira edição da OBF 2019 do colégio Século. A 1ª fase da Olimpíada Brasileira de Física 2019 foi aplicada no dia 09 de maio de 2019, durante os horários da tarde. Os alunos tiveram 4 horas para responderem a 20 questões dos mais variados conteúdos de Física.

A 2ª Fase da OBF será realizada no dia 17 de agosto (sábado), das 13h às 17h, no Instituto de Ciências Exatas da UFAM, que fica na Av. General Rodrigo Otávio, 6.200. Setor Norte – Bloco de Salas de Aula do ICE, no bairro do Coroado.

Além da importante participação do Centro Educacional Século na OBF, também recebeu resultados positivos da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). É um projeto nacional dirigido às escolas públicas e privadas, realizado pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada – IMPA, com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática – SBM, e promovida com recursos do Ministério da Educação e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC.

Essa competição foi criada em 2005 para estimular o estudo da matemática e identificar talentos na área; incentivar mais jovens talentos a ingressarem em universidades, nas áreas de científicas e tecnológicas; incentivar o aperfeiçoamento dos professores das escolas; contribuindo para a valorização profissional; integrar as escolas brasileiras com as universidades, institutos de pesquisas e sociedades científicas; e promover a inclusão social por meio da difusão do conhecimento.

Alguns alunos foram classificados para a 2º Fase das duas Olimpíadas, simultaneamente, como:

  • ARTHUR COSTA COUTO (9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II)
  • IGOR VENTURIM FERREIRA (9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II)
  • FELIPE CARDOSO CHÍXARO (1º ANO ENSINO MÉDIO)

Alunos classificados para a 2ª Fase da Olimpíada Brasileira de Física – OBF

  • EVELYN RAMOS DA COSTA (2ª ANO ENSINO MÉDIO)
  • ELISA COSTA COUTO (3º ANO ENSINO MÉDIO)
  • GIOVANNA YUMI FUKUI DE SOUZA (3º ANO ENSINO MÉDIO)
  • CAUÃ URIEL SILVA DE LIMA (9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II)
  • GLENN GABRIEL DEARBORN SHEPARD (9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II)

Alunos classificados para a 2ª Fase da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas – OBMEP

  • CARLOS VINICIUS DUARTE
  • RAPHAEL FUJIMOTO
  • AMANDA DE F REBELO EVANGELISTA
  • CAUE RIBEIRO PASCARELLI LOPES
  • PALOMA MARIA TEIXEIRA DA SILVA
  • RAIMUNDO NONATO DOS SANTOS DUARTE
  • SAMMYA ALE FARIAS
Olimpíadas de Física Século

Metodologia de Ensino focado no desenvolvimento de habilidades

A metodologia de ensino do Centro Educacional Século incentiva os alunos a participar de Olimpíadas e Campeonatos da área, a fim de exercitar o conhecimento do pensamento lógico computacional, além de poder aplicar nas atividades em casa e no seu meio. Muitas vezes, o conteúdo é explicado ao aluno através da interdisciplinaridade entre diferentes matérias, como é o caso da congruência entre a Física e Matemática, ambas da área de exatas. Todo o esforço para chegar a estes resultados veio de 2018, após identificar que a escola nunca tinha participado de uma Olimpíada Brasileira de Física, foi necessário amadurecer a ideia para, enfim, começar 2019 com o convite para os alunos, em caráter experimental, sem cobranças ou convocações.

Os professores das disciplinas realizaram intensa maratona de grupos de estudos, exercícios e simulados para preparar os alunos, utilizando referências de questões de campeonatos anteriores. O esforço em conjunto, colaborativo, entre professores e alunos na busca da resolução das questões e o desenvolvimento da aplicabilidade nos dias reais. “Estes resultados positivos refletem na melhoria das atividades do Centro Educacional Século nas áreas de exatas, integrando e desenvolvendo projetos em parceria. E a nota final deste esforço é que os alunos estão entendendo os processos desempenhados pelos professores, sendo coerentes”, diz o Professor de Física Paulo Costa.

Clube Olímpico de Matemática Século 

Esse ano, foi implementado o Clube Olímpico de Matemática no colégio, que tem como objetivo incentivar e preparar os alunos para olimpíadas de matemática e, consequentemente, para vestibulares. O Clube é composto por professores de matemática e física, alunos e egressos, e tem como coordenador o professor de Matemática, Hermínio Edson.

O foco é na metodologia de resolução de exercícios, desenvolvimento do raciocínio lógico/matemático do aluno. Para isso, são realizadas atividades como xadrez e quiz de desafios de lógica. Além disso, conta com um grupo de WhatsApp em que são postados diversos desafios provenientes de várias olimpíadas mundiais. Esses desafios promovem uma discussão interessante, até que os alunos alcancem a solução. A partir daí, o professor faz uma reflexão sobre os conceitos matemáticos utilizados para se resolver tais tipos de desafios.

Alunos Século preparando para olimpíadas de matemática

São realizados ainda encontros para discutir estratégias de prova e outras questões, onde recebem alunos egressos que cursam Engenharia e design, que falam sobre suas experiências em olimpíadas e como isso têm influenciado suas vidas acadêmicas.

“Estamos muito felizes com os primeiros resultados e esperamos que nosso trabalho nos leve ainda mais longe. Além de nos prepararmos para vestibulares e olimpíadas, nosso principal objetivo é poder preparar o aluno para a vida em sociedade, desenvolvendo habilidades úteis como raciocínio lógico, estratégia e tomada de decisão.” comenta Hermínio Edson.

Alunos medalhistas em Olimpíadas tem mais chances nas universidades

Segundo critérios de escolha entre faculdades onde a concorrência é acirrada, alunos que participaram de olimpíadas científicas ou são medalhistas em alguma edição, recebem maiores oportunidades na vida acadêmica, como é o caso da Unicamp, que abriu processo seletivo com 90 vagas, para 22 opções de cursos, somente para estudantes que tenham ótimo rendimento em competições de conhecimento do ensino médio, como as olimpíadas de Matemática, Física, Química e Robótica, dentre outras. A Unicamp vê esta modalidade de processo seletivo como um nicho inexplorado e que atrai candidatos com um perfil diferenciado e extremamente preparados.

“Também temos o exemplo da Tabata Amaral, que estreou este ano como deputada federal, destacando-se por embates com os dois últimos ministros da Educação do Governo Jair Bolsonaro, Ricardo Vélez Rodrígues e seu sucessor Abraham Weintraub. Tabata cresceu na periferia de São Paulo, sempre se destacou pelos estudos, ganhando uma bolsa em uma escola particular após se destacar nas olimpíadas de matemática. O investimento deu certo e foi aceita para estudar em Harvard, nos Estados Unidos”, exemplifica Paulo Costa.

A preparação de alunos com o conhecimento técnico-científico apenas comprova que estão à frente dos outros.

Reserve sua matrícula
2019-07-26T18:00:50+00:00