Projeto de Orientação Vocacional recebe palestra sobre estudar no exterior

//Projeto de Orientação Vocacional recebe palestra sobre estudar no exterior

Alunos do Ensino Médio conhecem processo seletivo em universidades fora do país no Projeto de Orientação Vocacional.

Escolher a profissão que gostaríamos de exercer por toda a vida é uma decisão um tanto quanto assustadora. Ainda mais quando essa escolha acontece em idade tão jovem, como é o caso dos estudantes de Ensino Médio. O Centro Educacional Século, através da coordenação pedagógica, acompanha de perto os alunos em suas aspirações e interesses, para orientá-los para o resultado mais adequado.

Durante o Projeto de Orientação Vocacional, esforço em conjunto com professores, coordenação, direção, alunos e família, o colégio convida profissionais, faculdades e parceiros para tirar as dúvidas de nossos alunos neste momento crucial.

Nesta semana, recebemos a visita da Apply Assessoria em Educação, para explicar o processo de admissão em universidades no exterior, principalmente nos Estados Unidos da América, no Canadá e em Londres. Pode até parecer uma realidade distante, mas esclareceu aos alunos o contrário, em que apenas com dedicação, compromisso e orientações corretas, é possível conquistar uma graduação no exterior, inclusive com bolsa de estudos.

Similar ao propósito que o Centro Educacional Século exerce em seu programa pedagógico, as universidades estrangeiras buscam alunos que não se interessam apenas pelos resultados alcançados por notas e prêmios, mas também nos projetos que se envolvem no tempo livre, no que acreditam e no que fazem de diferente junto à sua comunidade.

Igualmente importante é o resultado alcançado com a pontuação nos testes de avaliação, como o nosso vestibular, onde conseguem medir o ranking através de pontuações. O conhecimento generalista ainda é a base de avaliação em todo o mundo. Porém, em uma concorrência tão acirrada, as universidades avaliam os perfis dos candidatos, incluindo seus interesses extraclasse. São alunos com projetos significativos e de impacto para a sua comunidade ou sociedade, alunos que desenvolver tecnologias simples, que servem de protótipo para a solução de problemas, ou mesmo alunos com capacidades singulares em alguma habilidade específica, como o esporte ou música.

O conhecimento por absorção, apenas, tem sua parcela de conquistas e resultados. Entretanto, o aluno que busca ser um agregador para o meio em que vive, atuando ativamente em diferentes polos, desperta interesse não somente de universidades, mas também do mercado de trabalho e de colegas, tornando-se exemplo e influenciador do bem.

Tweets

2019-05-30T18:20:05+00:00